sábado, 3 de janeiro de 2009

sábado

Mundo.
hoje eu não vou chorar os seus silêncios gritantes
as suas vozes abafadas que tanto me fazem querer saber que tipo de animal somos nós.
Hoje eu não vou te perguntar absolutamente nada,
pois da ultima vez que quis saber pq aquela garota custava 50 dólares
me respondeu que era pq seus pais passavam fome.
Tinham tantos filhos que menos um não faria diferença
mas eis que sua mãe chorava quieta num canto
e a menina disse '' papai, não''.
Eu não entendi e hoje tmbm não quero entender pq diabos esse abismo é tão grande.
Gente não pode ter preço e no entanto é covardia deixar que tenha fome.
Definitivamente eu não quero entender nenhum sofrimento individual pq ainda que a dor seja de um, a culpa ,essa sim é coletiva.
ahi mundo,
já estou chorando o teu silêncio e as tuas vozes que tanto me falam

Um comentário:

Só o amor e a fé me explicam disse...

Minha sensível poeta, haverá o dia que conseguiremos olhar o mundo e escutar apenas as risadas da infância e a sabedoria da velhice.

haverá um dia
que a humanidade não terá preço
que a pressa caminhará na praia
que a fome e a guerra serão apenas palavras no dicionário antônimas a HUMANIDADE
e nos olharemos com gente e não com olhar indignado se perguntando: afinal somos que tipo de animal?