quinta-feira, 5 de agosto de 2010

É com a boca que eu quero encarar o mundo
que é pra poder cuspir caso não me agrade
que é pra poder mastigar cada pedaço que arde
e pro's meus olhos  mais que derretidos desejo
uma cegueira a parte.

2 comentários:

Gilmar disse...

Cheguei aqui, Elisa, um pouco por acaso, clicando no "Próximo blog" e gostei, imensamente, da sua fala! E penso ser por aí o jeito de caminhar, encarando com a boca, sem receios, ousando trajetos novos, sem medos de cuspir os imbróglios mastigados nos tropeços.

Valeu! Gostei! Voltarei para saborear mais!

Abraços!

Eliza Moreno disse...

hehehehe brigada, volte sempre, muito bom poder compartilhar!