sexta-feira, 11 de junho de 2010

Pensando nessa onda de literatura sobre vampiros comecei a relacionar com o inconsciente coletivo e em seguida com as tendências e medos da cultura ocidental . E há relações interessantes. Os vários complexos narcisistas contemporâneos estão na maioria das vezes ligados ao medo do envelhecimento,da morte, da perda de poder e da aceitação da crueldade como parte do ser humano (esses tabus que foram ao longo do tempo ditando o que é ser bom e o que é ser mau). E não por coincidência o Vampiro concentra todos os aspectos que resolveriam esses complexos, é a idealização da vida sendo mais uma vez projetada em um arquétipo. Imortalidade, crueldade natural, juventude prolongada e poder sobrenatural é tudo que os Vampiros têm e que alguns seres humanos ( em algum canto de suas mentes) desejam.