terça-feira, 1 de dezembro de 2009

[danés jens]


- Mas a inflecção da voz, o cheiro, a silhueta, tudo muda continuando igual quando a vontade ser é diferente.

- ...talvez a dor seja, finalmente, a única realidade.


(...) estou pensando na dor de precisar estabelecer identidade,
que é muito mais radical e originária do que qualquer outra coisa.
a dor de estar no mundo sem manual de instruções e não poder não estar no mundo.
a tentativa de apreensão do mundo não é um fim em si mesma, é secundária porque vem da violência excruciante de não se saber quem é.
o que eu quis dizer é que, todos os dias, somos surpreendidos pela dor do parto.
todos precisamos gestar e conceber.


Flora Mangini

 
do Blog Na casca de Limão
http://cascadelimao.blogspot.com/

2 comentários:

Na casca de limão disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Eliza Moreno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.