sábado, 17 de outubro de 2009

comunicado

Aprendi a chorar plenamente. É importante este chôro, o chôro que se entrega sem medidas, e torna-se completo em si mesmo. O chôro que nos lava de dentro para fora e esteriliza todos os nossos canais de comunicação com o mundo. Não é um chôro único. Não são vários choros contidos numa única situação. É um chôro que nos vem aos poucos, em situações diversas, em dores diferentes e ferozes. Quase como um ciclo, sem data para terminar. O tempo age , reage, reluta, e n'algum destes dias, repentinamente, se percebe: aprendi a chorar. É uma força divina. Saber-se capaz de sentir verdadeiramente o choro, aceitá-lo, compreendê-lo, reconhecer sua incontida beleza multifacetada. Aprender a perder. A cair. A pedir, e não receber. Aprender a chorar plenamente, é como sentir as mãos vazias clamando pelo que nunca veio ou lamentando incessantemente o leite que se derramou sem avisar. Sim, eu aprendi a chorar. E este aprendizado tem uma única e fundamental importância: estar pronto, finalmente pronto, para aprender a sorrir plenamente. Receber. Encontrar. Partilhar. Multiplicar. Alcançar. Prosseguir. Desembrulhar. São os braços e vida abertos, para receber as gargalhadas que encruaram na alma, se economizando para quando-deus-quiser. Poderia chorar para sempre. Muito e muitas vezes, pois isto já não é o que importa. O chôro aceito - qualquer chôro, presente ou passado - limpa e purifica. É parte do todo, assim com a morte é parte da vida. Aprender a sorrir vem depois. Vem, quando as inúteis perguntas sem respostas começam a cessar. Vem, quando todos os "nãos" e os vazios começam a ser recebidos sem o ranço da decepção. O sorriso vem quando a viagem já mudou seu curso, tomando os rumos mais improváveis ao início. Quando coisas, pessoas e certezas já ficaram pelo caminho. Quando se passaram sóis duros e chuvas pesadas. Mesmo saudosas primaveras perfeitas já ficaram para trás. É um depois. Um lugar onde há um espaço todo novo e livre, e um sorriso ainda não ouvido inspirando ares em seus pulmões, para desabrochar.

3 comentários:

jude disse...

me acuerdo de una frase que decia, "la lágrima nos ayuda a limpiar las impurezas del alma"..
está bien hacerlo, y quiero decirte algo, sabes que cualquier cosa que quieras contar, descargar, hablar, siempre voy a a estar, a pesar de la distancia.
nunca lo dudes, podés confiar en mi.

Eliza Moreno disse...

Aiii que lindaa.
confio, desde que pude ficar mais de 2 horas conversando com vc só pra passar o tempo e o tempo inexistiu.

te quiero!

jude disse...

jaja y yo a vos !