quinta-feira, 7 de maio de 2009

confissões de uma universitária



É quando eu chego calada

as 6:30 da mnhã

numa segunda

quase transparente

que eu piso impiedosa sobre tuas areias

e vc me entende,

É quando eu chego chorosa

deixando desaguar os olhos

que vc me olha

e me surpreende.

Me faz deixar de ser apenas boba

para ser a maior boba do mundo

rindo de cada onda

de cada pombo besta que fica andando de um lado pro outro

da cada gaivota que gira em cima da montanha

de cada cego que ver, mas não comtempla

rindo de cada onda...

Um comentário:

juljulj disse...

Ridere sempre e volare sempre più in alto come il Gabbiano Jonathan Livinghston (Bach)...baci e un sorriso.