sábado, 2 de maio de 2009

aleatória

Uma varanda. nela uma poltrona acolchoada, ao lado direito uma mesa onde folhas em branco e algumas rabiscadas coexistem com canetas derramadas,livros de poesia e teatro,fotografias soltas e uma quentinha xícara de chá de camomila. Do lado esquerdo a uns três passos uma tapete com tons de lilás se espalhas num canto circular com um monte de pequenas almofadas, em algum lugar atrás delas sobrevive uma barra de chocolate que ainda não comi. Acima, um fio transparente sustenta um filtro dos sonhos branco com penas e cristais. Na frente da varanda um pequeno jardim antecede a floresta,nele um córrego sutíll limita o espaço que pertence aos meus gatos bobos, alegres e sonolentos. Algumas borboletas em rasantes coreográficos sobrevoam meus lírios e girassois,a mangueira que fica num canto a beira de um fio d´água serve de parque para os passarinhos calouros que cantam a manhã inteira.
É nesse lugar que eu fico quando o mundo inteiro me parece impossível.

Um comentário:

Só o amor e a fé me explicam disse...

Quem não tem vontade de estar ai? é lindo , reconfortante e inspirador.

Beijinhos