quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

PARA COM POR


ELE ERA GREGO

EU TROIANA

TROIANA MAS NÃO HELENA!

POIS AQUELA FLOR

QUE NASCEU NA RUA

ME FEZ SURGIR MADALENA

NAQUELA MANHÃ TÃO DIDÁTICA

PODERIA PERDOA-LO FACILMENTE

POR TER ME ENCONTRADO

MAS SENDO ELA TÃO CHEIA E TÃO FRIA

NÃO O PERDOU POR TER FICADO

O MUNDO GRANDE EU PEQUENA

MEUS OMBROS LEIGOS NÃO PODERIAM SUPORTAR

MAS BEM BAIXINHO ELE ME DISSE QUE O AMOR

SENDO DA MESMA FORMA CABE NO BREVE ESPAÇO DE BEIJAR

NÃO ENTENDO DE PEDRAS NO CAMINHO

ELE ME ENSINOU A VOAR

E SE UM DIA O PERDOEI POR TER FALADO DE AMOR

NÃO O PERDOARIA POR TER ME FEITO AMAR

EU,COMO AS ROSAS DO TEMPO

INQUIETAS E VIVAS

OUSEI PENDURAR MEUS VERSOS

NESSE VARAL DE SIMPLICIDADE

E NAS CINZAS DO AMOR QUE PENDURA A FLAMA

NA LOUCURA DE QUEM ERRA,PROCURA,SOFRE,INDAGA E AMA

ME PERMITI POR ALGUNS MINUTOS

SER,QUEM SABE, POETA DE VERDADE

PARA CARLOS

COM DRUMMOND

POR ANDRADE

E QUE ESSE NOSSO AMOR,MEU VELHO

SEJA NADA MAIS QUE ETERNIDADE...

2 comentários:

Só o amor e a fé me explicam disse...

você esta se aprimorando, Lindo D. Eliza, beijinhos!

Elizabeth Moreno disse...

ihhhhhh virou crítico de literartura ?