sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Essa loucura doce que é existir além da carne,
inexistir dentro da alma e se diluir em mil pedaços.
Esse sonho triste que é arco-íris no escuro
maçã mordida na madrugada,
que sou eu perdida na chuva,
num temporal que não se deixa interromper.
Umideçam,queridos versos
se reciclem
pq hoje não sei mais como colori-los...
me absorvam,
me cubram a pele tênue
a alma em sua superfície...
nua...

Um comentário:

Rafael disse...

Denso e muito poético, ADOREI ... mas como eu prefiro a comédia rs

Caso os versos se umedeçam e tomem conta do seu corpo, vc deixa eu escrever nele?

Beijocas lindona.